sábado, 27 de setembro de 2008

A VERDADE NÃO PRESCREVE!!! ( 474 )

*****

Processo Nº 230/2007

aos 27 de Setembro de 2008 (sábado)

Sr Chefe do Executivo ------ A VERDADE NÃO PRESCREVE!!!!!!

651 DIAS!!!

Senhor “omisso” !!!
Corrupção!!! Corrupção!!! Corrupção!!!
Os corruptos, até se intitulam pessoas(!!!) respeitáveis!!!

A prática de crime hediondo, é sempre punível, por uma qualquer lei que exista, que se faça na adequação a esse crime, por forma a proteger o Cidadão, mas também como bom exemplo de prevenção dentro de um Estado de Direito, a existir. Não tem sido o caminho seguido, o que por si só evidencia cumplicidade tenebrosa, porque o Cidadão não tem protecção do Estado, porque o próprio Estado está minado de compadrios, tráfico de influências dentro deste “sistema”, tornando-se como tal, um outro estado dentro do Estado de Direito, manipulador pelos interesses pessoais daqueles que detêm o poder, assim como dos seus associados. A cumplicidade é tão ou mais aviltante, que bastará olhar para a justiça que por aqui se pratica, onde não existe um pequeno escrito, por mais simples que seja de salvaguarda à vítima, mas também que possa sustentar a punição de um único criminoso, por isso há toda a facilidade na continuação do crime.

Esta tem sido a liberdade do bando de indivíduos arrivistas, ávidos de poder, de poderem ser novos-ricos, ao se dizerem detentores das “amplas liberdades”, pelo patrocínio de uma certa ideologia, de ser capaz de devolver “liberdade” aos pobres incautos, desmiolados que batem palminhas a torto e a direito, mas também dos seus continuadores neste escândalo escabroso, que assisto pela minha própria experiência, onde não há liberdade ( nenhuma, posso provar ) a não ser aquela que os continuadores se outorgam de decidir de forma falaciosa e aviltante.

Por isso, Senhor chefe do executivo, sei do que falo, sei da “trampa” que são feitos os seus camaradas, sei da “filha-da-putice”, que é o seu comportamento perante estes crimes contra a minha Família, sei dos maus princípios que o assistem, sei dos seus objectivos, sei da sua intolerável incompetência moral a raiar o ridículo, sei…, sei que é trafulha, no estrito seguimento da cartilha criminosa, que nos desonra, que muito humilha a minha Família. Sei, que o Senhor é uma “trampa” de gente!!!

A minha Tia, as outras trafulhices - sempre presentes - já as conhece bem; veja os processos. Continuo a gritar: - desapareça do meu País!!! Emigre!!!

FAMÍLIA, HONRA, DIGNIDADE.
(em memória do meu Pai, e da minha Mãe)

__________
J. Gonçalves

Nota: enviado por e-mail ao Sr 1º Ministro, como diàriamente o tenho feito, desde 2006/12/28, com a minha identificação, ( também dos outros Familiares ) morada e telefone.